segunda-feira, 13 de março de 2017

SENHORA DO DESTINO (SINOPSE)


RETORNE AO MENU PRINCIPAL
RETORNE AO MENU PRINCIPAL
A trama de Senhora do Destino é dividida em duas fases. A primeira – exibida em quatro capítulos – se passa em dezembro de 1968, quando a nordestina Maria do Carmo Ferreira da Silva (Carolina Dieckmann), abandonada pelo marido Josivaldo (Manoel Candeias), parte com seus cinco filhos de Belém do São Francisco, no interior de Pernambuco, rumo ao Rio de Janeiro. Desesperada, ela escreve ao irmão, Sebastião (Luiz Carlos Vasconcelos), pedindo que ele os receba. Sebastião trabalha como motorista para Josefa Magalhães Duarte Pinto (Marília Gabriela), por quem é apaixonado. Ela é filha de família tradicional e dona do jornal carioca Diário de Notícias, herdado após a morte do segundo marido.

Após uma série de contratempos na viagem, Maria do Carmo e os filhos chegam ao Rio de Janeiro no dia da decretação do Ato Institucional nº 5 (AI-5), 13 de dezembro de 1968. Há um grande tumulto nas ruas do Centro, tomadas por manifestantes e policiais. O Diário de Notícias, opositor do regime militar, é invadido pela polícia, e Sebastião não consegue buscar Maria do Carmo na rodoviária. Como perdeu o papel onde havia anotado o endereço do irmão, ela segue com os filhos à procura do jornal, onde espera encontrar Sebastião. No meio da confusão em que se transformou a cidade, Reginaldo (Miguel Rômulo), um de seus filhos, é ferido por uma pedrada. Maria do Carmo consegue se refugiar com as crianças em uma casa abandonada.

Nazaré (Adriana Esteves), após uma discussão com o amante Luís Carlos (Tarcísio Filho), também se abriga no local. Vestida como uma enfermeira e com uma falsa barriga de grávida, Nazaré diz se chamar Lourdes e promete tomar conta das crianças enquanto Maria do Carmo leva Reginaldo ao hospital. Na volta, porém, Maria do Carmo descobre que a mulher desapareceu com sua filha recém-nascida, Lindalva.

Nazaré, na realidade, é uma prostituta do bordel de Madame Berthe (Tônia Carrero) que deseja se casar com o amante e mudar de vida. Ela acredita que a gravidez é a única maneira de separá-lo da esposa e da filha. Como é estéril, inventou que estava grávida para forçar Luís Carlos a assumir a criança. Ao ficar sozinha com Lindalva em seus braços, Nazaré vislumbra a chance de concretizar seu plano e sequestra a menina.

Após chantagear Madame Berthe para que confirme sua história, ela arma uma farsa e finge que deu à luz a criança, sensibilizando o amante, que larga a família para ficar com ela. A luta de Maria do Carmo para reencontrar a filha roubada é o fio condutor da novela.

Desolada com o sequestro de Lindalva, Maria do Carmo se perde nas ruas do Rio, é confundida com os manifestantes e levada presa, assim como Dirceu de Castro (Gabriel Braga Nunes), repórter do Diário de Notícias, que se recusa a abandonar a redação do jornal. Josefa também é presa, tem o jornal fechado e é aconselhada a deixar o país, o que a leva para um luxuoso exílio em Paris.

Maria do Carmo e Dirceu ficam em celas vizinhas no presídio da Ilha das Flores, e o jornalista toma conhecimento da história da nordestina. Dirceu chama a atenção do comandante da prisão para o equívoco, e a jovem é solta. Ela encontra Sebastião por acaso, e os dois conseguem impedir que as crianças, que haviam sido levadas para o Juizado de Menores, sejam enviadas para um orfanato. Maria do Carmo decide se instalar no mesmo lugar onde o irmão vive, em Vila São Miguel, na Baixada Fluminense, e jura que dedicará sua vida a localizar a filha Lindalva.

Na segunda fase da novela, Maria do Carmo (Susana Vieira) é uma mulher forte e bem-sucedida, mãe dedicada de Reginaldo (Eduardo Moscovis), Leandro (Leonardo Vieira), Viriato (Marcello Antony) e Plínio (Dado Dolabella), e dona da loja de material de construções Do Carmo. É querida e respeitada em Vila São Miguel por sua ética e generosidade. Ela mantém um antigo relacionamento amoroso com Dirceu (José Mayer), agora editor e colunista político de um grande jornal carioca. Os dois moram em casas separadas e vivem uma relação tranquila. Mas a nordestina tem outro admirador: o ex-bicheiro Giovanni Improtta (José Wilker).

Giovanni Improtta é presidente da escola de samba Unidos de Vila São Miguel. Uma de suas características é a inseparável gravata borboleta, além do esforço para falar bonito, que o leva a cometer vários erros de português. Seu modo de falar caiu nas graças do público, que reproduzia nas ruas expressões como “felomenal” (em vez de “fenomenal”). Giovanni é pai de João Manoel (Heitor Martinez) e Jenifer (Bárbara Borges). Viúvo, mora com os filhos e a sogra, Flaviana (Yoná Magalhães). Tem como namorada a aspirante a celebridade Danielle (Ludmila Dayer), a quem chama de "Ninfa Bebê". Mas o ex-bicheiro, que vive repetindo não dever nada à polícia nem ao fisco, é apaixonado mesmo por Maria do Carmo, tendo de disputar o seu amor com o rival Dirceu, a quem se refere como "Troca Letras".

Sebastião (Nelson Xavier), o irmão de Maria do Carmo, casou-se com Janice (Mara Manzan) e tem três filhos: Eleonora (Mylla Christie), Venâncio (André Gonçalves) e Regininha (Maria Maya). É motorista do refinado Pedro Correia de Andrade e Couto (Raul Cortez), o barão de Bonsucesso, e de sua esposa, a baronesa Laura (Glória Menezes). Ao longo da história, Regininha engravida do namorado João Manoel, e, no fim da trama, os dois apressam o casamento. Danielle e Venâncio, casados, descobrem que vão ser pais.

Lindalva, a caçula roubada de Maria do Carmo e batizada como Isabel (Carolina Dieckmann), transformou-se em uma jovem doce e bonita, que tem uma relação de cumplicidade com a perturbada e perigosa Nazaré (Renata Sorrah), que ela pensa ser sua mãe. Nazaré ainda vive com Luís Carlos (Tarcísio Meira) e está sempre em guerra com a enteada Cláudia (Leandra Leal), que foi morar com o pai após sua mãe, abandonada pelo marido, sucumbir à depressão e morrer.

A farsa de Nazaré começa a vir à tona quando o fotógrafo Rodolfo (Reinaldo Gonzaga) entrega a Dirceu a foto de uma enfermeira grávida com um bebê no colo, tirada por ele durante o tumulto no centro do Rio, em dezembro de 1968. Maria do Carmo e Leandro reconhecem a sequestradora. Dirceu pede a Rodolfo que use programas de computador para “envelhecer” a foto e chegar ao rosto atual da mulher. Depois, consegue que a história de Maria do Carmo seja tema de um programa investigativo na TV. Luís Carlos assiste ao programa e diz à Nazaré que vai denunciá-la. Os dois discutem, e ele cai da escada de casa. No chão, com fortes dores no peito, pede à Nazaré que pegue o seu remédio, mas ela não o socorre.

Com a morte do pai, Isabel começa a trabalhar no restaurante Monsieur Vatel, de propriedade de Edgard (Dan Stulbach). Os dois se apaixonam. O maître Viriato (Marcello Antony) nem imagina que a namorada do patrão é sua irmã desaparecida. O namoro de Isabel e Edgard deixa Nazaré desesperada, pois o rapaz é neto de Madame Berthe.

No final da trama, o receio de Nazaré se justifica: é o diário da cafetina que confirma a história do sequestro. Antes disso, porém, a vilã apronta muitas. Ela passa a ter como amante e aliado o inescrupuloso Josivaldo (José de Abreu), o marido desaparecido de Maria do Carmo que volta para a família pedindo pensão alimentícia à mulher.

Enquanto Maria do Carmo continua a busca pela filha, Dirceu e Giovanni tentam a todo custo localizar a menina. Em uma dessas tentativas, aparece Angélica (Carol Castro), que foi encontrada ainda bebê no mesmo dia do desaparecimento de Lindalva. Mas a alegria de Maria do Carmo dura pouco: Angélica tem uma pinta de nascença na perna e, portanto, não pode ser a filha sequestrada. Mesmo assim, Maria do Carmo a acolhe em casa e faz dela sua secretária na loja. Angélica se envolve com Plínio.

O cerco contra Nazaré vai se fechando, com a colaboração de vários amigos de Maria do Carmo, inclusive Cláudia, a enteada da vilã. Ela também se torna aliada da nordestina, pois sempre odiou a madrasta.

MARIA DO CARMO (Carolina Dieckmann / Susana Vieira)
Mulher solidária, segura de si, acostumada a controlar tudo a seu redor, porém sem jamais sufocar os que lhe estão próximos. Dona de uma linguagem rica, quase barroca, fiel intérprete de uma mistura de vários costumes e vivências, ainda é terna, passional e amantíssima. Também pode ser autoritária às vezes, mas tem uma desculpa muito forte para tal: acima de tudo quer manter a família unida e, para conseguir isso, não mede sacrifícios, estando sempre disposta a pagar qualquer preço.
Teve a filha recém-nascida sequestrada e, desde então, tudo o que fez foi tentar manter os que lhe restaram próximos uns dos outros: os quatro filhos homens – Reginaldo (Eduardo Moscovis), Leandro (Leonardo Vieira), Viriato (Marcello Antony) e Plínio (Carlos Eduardo Dolabella) –, o irmão Sebastião (Luiz Carlos Vasconcelos/Nelson Xavier) e sua família, os agregados de Vila São Miguel, o namorado Dirceu de Castro (José Mayer) e seu eterno pretendente Giovanni Improtta (José Wilker). Até os amigos. Todos gravitam em torno dela e, de um modo ou de outro, acabam sempre necessitando da sua compreensão, do seu apoio ou do seu amparo. É o que chamam de “matriarca”, no sentido mais amplo da palavra. Desde que chegou a Vila São Miguel, quando o lugar não passava de um arruado, ela se destacou pela força de vontade e pelo apego ao trabalho. Tornou-se uma referência no lugar. Se hoje vive uma vida tranquila, é porque a mereceu: pagou por ela, dia após dia, com o suor do próprio rosto. Seu objetivo maior na vida é reencontrar a filha, Lindalva.

NAZARÉ TEDESCO (Adriana Esteves / Renata Sorrah)
A grande vilã. Prostituta que, no início da história, em 1968, fingiu ser auxiliar de enfermagem e estar grávida para segurar o namorado casado. Louca para abandonar a profissão, apostou todas as fichas na relação que mantinha com Luís Carlos Tedesco (Tarcísio Filho), chegando a sequestrar a filha de Maria do Carmo (Susana Vieira) para apresentá-la ao namorado como sendo fruto da relação dos dois. Não se arrepende do que fez. Casou-se com Luís Carlos, que abandonou a mulher para ficar com ela, e cria a “filha” Isabel (Carolina Dieckmann) com muito carinho. Também teve de acolher a primeira filha de Luís Carlos, Cláudia (Leandra Leal), depois que sua mãe morreu – mas não a suporta. Com a morte de Luís Carlos, passa a ser sustentada por Isabel. Se pudesse, acharia mais um trouxa igual ao ex-marido e tentaria de tudo para enganá-lo, mas sabe que não tem mais idade para tal. Por isso, prefere fingir-se de doente enquanto espera que lhe apareça uma saída.

ISABEL TEDESCO / LINDALVA (Carolina Dieckmann)
A filha de Maria do Carmo (Carolina Dieckmann/Susana Vieira) que foi roubada quando bebê. Criada como filha legítima de Nazaré Tedesco (Adriana Esteves/Renata Sorrah), a quem ama demais, nunca soube a verdade sobre sua origem. Quando Luís Carlos (Tarcísio Meira), seu suposto pai, morre, Isabel se desdobra para sustentar a mãe. Trabalha durante o dia, estuda à noite, e não lhe sobra tempo para mais nada, nem para namorar. É cortejada por um vizinho, Alberto (Thiago Fragoso), a quem considera apenas um amigo. No decorrer da trama, Leandro (Leonardo Vieira), ignorando ser seu irmão, se interessa pela jovem, e os dois se tornam amigos. Mas ela se apaixona é por Edgard Legrand (Dan Stulbach), com quem vive sua história de amor. Quando descobre ter sido roubada de sua mãe biológica, a princípio não consegue ficar contra a mãe que a criou, e a perdoa; até dar-se conta de que Nazaré não merece seu perdão.

GIOVANNI IMPROTTA (José Wilker)
Ex-bicheiro, hoje empresário estabelecido no ramo da construção civil, Dr. Giová, como é conhecido, é dono de um passado condenável, mas tenta liquidar as “contas” de sua história anterior para se tornar um outro homem. Um pecador em busca da redenção, por isso anseia por ser um cidadão honesto e cumpridor dos seus deveres. Viúvo, pai de Jenifer (Bárbara Borges) e João Manoel (Heitor Martinez), costuma dizer que, além dos filhos e da saudade, a mulher lhe deixou uma cruz, um calvário: a sogra, dona Flaviana (Yoná Magalhães), que mora em sua casa e que não só o mantém sob constante vigilância, como exige dele fidelidade absoluta à falecida. Presidente da escola de samba Unidos de Vila São Miguel, falante e espaçoso, é um eterno pretendente ao coração de Maria do Carmo (Susana Vieira). Embora apaixonado, não pensa em permanecer casto e puro por sua causa. Tem sempre, como ele mesmo diz, “uma galinha ciscando no seu terreiro”. A da vez é a jovem Danielle Meira (Ludmila Dayer).

DIRCEU DE CASTRO (Gabriel Braga Nunes / José Mayer)
Namorado e amigo fiel de Maria do Carmo (Susana Vieira), jornalista e prestigiado colunista político de um jornal carioca. Tímido, reservado e misterioso, no que diz respeito a Maria do Carmo é um livro aberto: ama-a sem condições. Tanto que aceita até mesmo o fato de não tê-la sempre por perto.

REGINALDO (Miguel Rômulo / Eduardo Moscovis)
Filho mais velho de Maria do Carmo (Susana Vieira), irmão de Viriato (Marcello Antony), Leandro (Leonardo Vieira), Plínio (Carlos Eduardo Dolabella) e Lindalva (Carolina Dieckmann). Frio, calculista e ambicioso ao extremo, possui um péssimo caráter. Vereador num município da Baixada, quer ser prefeito de Vila São Miguel, caso o distrito consiga a sua emancipação no plebiscito. Sonha também com voos mais altos: tornar-se deputado federal, governador do Estado, senador e, quem sabe, até presidente da República. As pessoas votaram nele para vereador porque era “o filho da dona Do Carmo”. Mas quando decidir sair dos limites de Vila São Miguel, não poderá mais contar com o prestígio de sua mãe. Sente que tem que se livrar de Leila (Maria Luisa Mendonça), com quem foi obrigado a casar. Conforme vai se refinando, tem cada vez mais vergonha da mulher, uma moça pobre de Vila São Miguel, que acha grosseira, mal-educada e simplória. Sonha ter a seu lado uma espécie de Evita Péron, uma companheira que dê força a seus propósitos populistas. É amante de Viviane (Letícia Spiller). Embora despreze a mulher, é apaixonado pelos filhos, Bruno (Thadeu Matos) e Bianca (Marcela Barrozo).

LEANDRO (Ramon Motta / Leonardo Vieira)
Contador, Leandro é o segundo filho de Maria do Carmo (Susana Vieira), e o único que se formou. Irmão de Reginaldo (Eduardo Moscovis), Viriato (Marcello Antony), Plínio (Carlos Eduardo Dolabella) e Lindalva (Carolina Dieckmann). Possui um escritório no qual administra as contas de vários clientes, embora esteja cada dia mais dedicado a um deles: Giovanni lmprotta (José Wilker), ex-bicheiro, agora empresário. Leandro não só cuida das contas do dr. Giová, como também o aconselha em seus negócios e investimentos. É casado com Nalva (Tânia Khalill), destaque da escola de samba Unidos de Vila São Miguel. Ao longo da trama, envolve-se com Cláudia (Leandra Leal).

VIRIATO (Marcelo Max / Marcello Antony)
Viriato é maître, e o mais bonito dos filhos de Maria do Carmo (Susana Vieira). Irmão de Reginaldo (Eduardo Moscovis), Leandro (Leonardo Vieira), Plínio (Carlos Eduardo Dolabella) e Lindalva (Carolina Dieckmann), é aquele que, ao desfilar entre as mesas do restaurante francês onde trabalha, arranca mal disfarçados suspiros de suas sofisticadas frequentadoras. Além de bonito, é o que se chamaria antigamente de “um homem fino”. Por opção, leu livros de etiqueta e elegância, devorou todos os volumes sobre arte, vinhos e charutos, e assim sofisticou-se. Viriato se aprimorou dessa forma porque deseja evoluir profissionalmente. Seu sonho é, um dia, ter o seu próprio restaurante. Ele se apaixona por Duda (Débora Falabella), com quem vive uma relação tumultuada, já que não é aceito pelos pais da moça.

PLÍNIO (Cássio Ramos / Dado Dolabella)
Filho mais novo de Maria do Carmo (Susana Vieira), simpático, sedutor e devoto da preguiça, da vida noturna e das mulheres. Elegeu o short folgadão, a camisa sem mangas e os chinelos como seu uniforme oficial, e considera uma verdadeira tortura vestir qualquer coisa que não seja esse tipo de roupa. Plínio adora as mulheres – por isso tem muitas –, e também se deixa adorar por elas. Ao longo da trama, envolve-se com Yara (Helena Ranaldi), com quem acaba tendo um filho. Mais tarde, apaixona-se por Angélica (Carol Castro).

JOSIVALDO (Manoel Candeias / José de Abreu)
Marido de Maria do Carmo (Susana Vieira) no início da novela, um crápula. Sob pretexto de ir para o Sul em busca de emprego, renunciou às suas responsabilidades e deixou para trás a mulher com os cinco filhos pequenos. Em São Paulo, logo arrumou outra família, que também abandonou depois de um tempo. E assim o fez com pelo menos outra meia dúzia de mulheres. Chegado à bebida e adepto de forrós e confusões, viveu todos esses anos irresponsavelmente. Só quando se deu conta de que tudo na vida tem um preço, lembrou-se da ex-mulher, cujo paradeiro ele descobre. Sem nunca ter se dado ao trabalho de fazer contato, decide cinicamente recorrer a ela. Vira aliado de Nazaré (Renata Sorrah).

SEBASTIÃO (Luiz Carlos Vasconcelos / Nelson Xavier)
Irmão mais velho e sócio de Maria do Carmo (Susana Vieira), homem cumpridor dos seus deveres, sério e compenetrado. Nunca ri, e detesta quem vive “de dentes arreganhados”. Vive de acordo com um código de conduta muito rígido herdado do pai e, apesar dos entraves da modernidade, tenta criar os filhos Venâncio (André Gonçalves), Eleonora (Mylla Christie) e Regininha (Maria Maya) de acordo com esse padrão. Casado com Janice (Mara Manzan) há mais de 30 anos, sempre foi fiel a ela, mas só fisicamente. Seu coração e sua alma pertenceram durante anos a fio a uma única pessoa: Dona Josefa (Marília Gabriela), a patroa que foi viver no exílio. Da mulher exige companheirismo e cumplicidade; dos filhos, respeito; e da irmã, carinho e amizade. Sebastião poderia estar à frente da loja de material de construção, mas prefere continuar trabalhando como motorista, porque acha que esta é sua profissão. Na verdade, ele gosta mesmo é de se sentir útil e imprescindível para os patrões. Foi assim nos tempos de Josefa, e é assim agora com o “barão” Pedro (Raul Cortez) e a “baronesa” Laura (Glória Menezes).

JANICE (Mara Manzan)
Mulher de Sebastião (Nelson Xavier), mãe de seus três filhos, Venâncio (André Gonçalves), Eleonora (Mylla Christie) e Regininha (Maria Maya). Mineira, órfã de pais e sem irmãos ou parentes próximos, foi trazida ainda menor de sua cidade natal para o Rio de Janeiro. Conheceu Sebastião logo que chegou ao Rio e, segundo ela, foi a solidão que os juntou. Assim que foram morar juntos, Janice ficou grávida do primeiro filho. Foi nessa época também que ela percebeu que Sebastião amava a patroa, Josefa (Marília Gabriela). A partir de então, tornou-se uma mulher ressentida e rancorosa.

VENÂNCIO (André Gonçalves)
Filho de Sebastião (Nelson Xavier) e Janice (Mara Manzan), irmão de Eleonora (Mylla Christie) e Regininha (Maria Maya). Escolheu a profissão de motorista, como o pai, e hoje dirige sua própria van, fazendo parte de uma cooperativa. Tem pretensões políticas – é uma espécie de líder da classe dos motoristas de vans em Vila São Miguel – e, por isso, junta-se à campanha do primo Reginaldo (Eduardo Moscovis) pela emancipação do distrito. Sonha ser candidato a vereador no novo município, e o primo o incentiva, mas apenas por interesse, pois costuma usar Venâncio para fazer o serviço sujo. Quando as falcatruas de Reginaldo se tornam públicas, Venâncio é convencido a assumir parte delas. Reginaldo também envolve Venâncio na morte de sua mulher, Leila (Maria Luisa Mendonça), obrigando-o a dizer que os dois eram amantes.

ELEONORA (Mylla Christie)
Filha de Sebastião (Nelson Xavier) e Janice (Mara Manzan), irmã de Venâncio (André Gonçalves) e Regininha (Maria Maya). Cursa o último ano de Medicina, e faz estágio num hospital da Baixada. Muito tímida, é reservada mesmo com os pais e os irmãos. Pouco se sabe sobre ela. Dedica-se totalmente aos estudos e, às vezes, fica dias sem aparecer em casa. Sem vaidade, Eleonora é apagada, sem vida, e nunca namorou, até porque acha que isso é um atraso de vida. No decorrer da trama, ela e Jenifer (Bárbara Borges) assumem que estão apaixonadas e iniciam um namoro, causando a revolta de suas famílias.

REGININHA (Maria Maya)
Filha mais nova de Sebastião (Nelson Xavier) e Janice (Mara Manzan), irmã de Venâncio (André Gonçalves) e Eleonora (Mylla Christie). O oposto da irmã. Péssima aluna, mal conseguiu terminar o segundo grau, pois, desde os 15 anos, só pensa em se divertir e namorar. Madrinha da escola de samba de Vila São Miguel, Regininha sonha posar nua para uma revista masculina para, com o dinheiro que receber, tornar-se independente. Não tem a menor noção do dinheiro, e vive sob a severa vigilância do pai e do irmão. Namorada de João Manoel (Heitor Martinez), filho de Giovanni (José Wilker).

LEILA (Maria Luisa Mendonça)
Moça de família pobre, nasceu em Vila São Miguel e nunca saiu de lá até o dia em que se casou com Reginaldo (Eduardo Moscovis) e viajou 40 km para a lua de mel em Copacabana. Tem consciência de que sua vida só começou depois do casamento, e não vê razões para que vá muito além. Só por ter se casado já se sente realizada. Desprovida de ambição, acha que o que possui já é mais do que suficiente: uma boa casa, uma família e um marido a quem venera. Seu maior prazer é cozinhar, lavar, passar. Tem vocação para dona de casa e não para dondoca ou mulher de político. Morre de ciúmes de Reginaldo, com quem teve os filhos Bruno (Thadeu Matos) e Bianca (Marcela Barrozo).

BIANCA (Marcela Barrozo)
Filha de Leila (Maria Luisa Mendonça) e Reginaldo (Eduardo Moscovis), irmã de Bruno (Thadeu Matos). Menina precoce. Tem 13 anos e é uma mocinha espevitada, preocupada com a moda, e nada interessada nos estudos. Louca para namorar, para desespero dos adultos que a cercam, tem nítida preferência por homens maduros, sem pudor em azará-los. O pai tem verdadeiros ataques quando a vê paquerando algum adulto, principalmente porque morre de ciúmes de sua “princesa”.

BRUNO (Thadeu Matos)
Filho de Leila (Maria Luisa Mendonça) e Reginaldo (Eduardo Moscovis), irmão de Bianca (Marcela Barrozo). Com 15 anos, é um rapaz sério e estudioso, a quem o pai está educando para se tornar, aos 22 anos, “o deputado federal mais jovem do Brasil”. É tido como pedante e metido pelos meninos da sua idade, mas só é assim para não decepcionar o pai. O que ele gostaria mesmo é de estar na rua junto com os outros garotos, levando uma vida normal.

MARINALVA / NALVA (Tânia Khalill)
 Mulher de Leandro (Leonardo Vieira), também conhecida como Nalva Ferrari. Nascida e criada em Vila São Miguel, mas com passagens por várias casas de shows da zona sul do Rio. Um mulherão. Meio desmiolada, passa a imagem de um vulcão sexual em erupção constante. Gosta do efeito que produz nos homens e, sabendo o quanto eles são mandões e rebeldes, aprendeu que só dessa maneira consegue dominá-los. Tem uma paixão pelo cunhado Viriato (Marcello Antony), chegando ao ponto de assediá-lo.

CLEMENTINA (Míriam Pires)
Agregada da casa. Assim como Maria do Carmo (Susana Vieira), veio de Belém do São Francisco. Pode ser considerada uma governanta, mas também atua como uma espécie de conselheira. É uma figura do bem, que ouve Maria do Carmo falar sobre seus problemas, pondera e trata de lhe dar alguma orientação. Excelente cozinheira, responsável pela preparação de pratos típicos cujas receitas são devidamente compiladas pelo jornalista Dirceu de Castro (José Mayer).

SHAO LIN (Leonardo Miggiorin)
Neto de dona Clementina (Míriam Pires), o “marginalzinho” de Pedra Lascada. Tem uma academia de artes marciais que, de vez em quando, recebe visita de astros desse gênero de lutas. Nestas ocasiões, ao ver seus ídolos, não resiste e desmaia. Mas não admite comentários a respeito. O verdadeiro nome de Shao Lin é Políbio, mas ele o odeia. Cobra proteção dos moradores que pagam para não terem suas casas arrombadas por seu grupo. Baixinho, usa sapatos altíssimos de plataforma, que lhe garantem alguns centímetros a mais e, eventualmente, também lhe servem de arma, já que é adepto do boxe tailandês e adora chutar seus desafetos. Fora de Pedra Lascada, não seria ninguém; mas na comunidade as pessoas o temem. Escolhe as meninas que vão ser suas amantes e as ameaça em caso de rejeição. Mas isto nunca acontece: todas se mostram orgulhosas de serem suas favoritas. Envolve-se com Lady Daiane (Jéssica Sodré), com quem tem um filho.

CÍCERA (Stela Freitas)
Ajuda dona Clementina (Míriam Pires) nos afazeres da casa.

ANGÉLICA (Carol Castro)
Jovem pobre, supostamente encontrada ainda bebê no mesmo dia do desaparecimento de Lindalva, que Maria do Carmo (Susana Vieira) acolhe em sua casa e contrata como secretária da loja, mesmo após confirmar que não se trata de sua filha sequestrada. Eficiente e dedicada, mas um pouco dissimulada, Angélica se apaixona por Plínio (Dado Dolabella), com quem se envolve.

VIVIANE (Letícia Spiller)
Suposta assessora parlamentar de Reginaldo (Eduardo Moscovis), é amante do vereador e candidata da vez ao posto de “Evita Péron”. Bonita e com certa classe, parece uma verdadeira deusa aos olhos de Reginaldo, que a conheceu quando ela distribuía panfletos numa exposição agropecuária. Agora é sustentada pelo amante. Mas sua mesada não sai do bolso dele, e sim do orçamento da Câmara de Vereadores. Viviane não suporta Maria do Carmo (Susana Vieira). Por mais que se esforce, não consegue esconder isso quando está perto dela: acha-a vulgar e falastrona. Mas algo que consegue camuflar muito bem, por trás da aparência gelada, é sua ambição doentia.

YARA (Helena Ranaldi)
Alta executiva, segura e independente, que decide ter um filho e escolhe Plínio (Dado Dolabella) como pai, sem nem ao menos consultá-lo. No decorrer da trama, recorre ao rapaz quando a empresa em que trabalha vai à falência, o que o obriga a ter de cuidar da criança e, consequentemente, adquirir responsabilidade.

EDGARD LEGRAND (Dan Stulbach)
 Dono do restaurante francês no qual Viriato (Marcello Antony) trabalha como maître. Apesar do nome e do ligeiro sotaque provençal que lhe dá prestígio entre os clientes, é brasileiro, neto de Berthe Legrand (Tônia Carrero), a dona do bordel no qual Nazaré Tedesco (Adriana Esteves) trabalhava. Edgard se apaixona por Isabel/Lindalva (Carolina Dieckmann), com quem vive uma das histórias de amor da trama.

RITA DE CÁSSIA (Adriana Lessa)
Mulher maltratada pela vida, casada com o marginal Cigano (Ronnie Marruda) e mãe de Lady Daiane (Jéssica Sodré) e Maikel Jeckson (Agles Stibe). Dependente química e vítima de violência doméstica, Rita sofre nas mãos do marido, que exige dela “qualquer sacrifício” para tirá-lo da prisão. Sua situação se agrava quando descobre que a filha está grávida de Shao Lin (Leonardo Miggiorin) e que o filho está começando a andar com más companhias. Ao longo da trama, recupera-se com a ajuda da amiga Maria do Carmo (Susana Vieira) e de um novo amor, o taxista Constantino (Nuno Melo).

GÍLSON DAS NEVES / CIGANO (Ronnie Marruda)
Marido de Rita (Adriana Lessa) e pai de Lady Daiane (Jéssica Sodré) e Maikel Jeckson (Agles Stibe). Safado, não passa de um bandido “muquirana”. Covarde e medroso, só cresce diante da família, que mantém aterrorizada.

LADY DAIANE (Jéssica Sodré)
Filha mais nova de Cigano (Ronnie Marruda) e Rita (Adriana Lessa), irmã de Maikel Jeckson (Agles Stibe). Tem 15 anos, e é uma menina inocente, quase angelical, que engravida de Shao Lin (Leonardo Miggiorin). Ainda criança, encara o nascimento do filho como se fosse a chegada de uma boneca. Maria do Carmo (Susana Vieira) tenta fazê-la enxergar a realidade mas, iludida por Shao Lin, ela vê a gravidez como uma coisa romântica. No decorrer da trama, envolve-se com Bruno (Thadeu Matos), filho de Reginaldo (Eduardo Moscovis).

MAIKEL JECKSON (Agles Stibe)
Filho de Rita (Adriana Lessa) e Cigano (Ronnie Marruda), irmão de Lady Daiane (Jéssica Sodré). Por ter o pai preso e a mãe dependente química, acaba tendo que contar, junto com a irmã, com a bondade de Maria do Carmo (Susana Vieira). Quer ser cantor e compositor, mas não tem o menor vestígio de talento. Já fez alguns raps, todos muito constrangedores. Tem uma paixão recolhida e jamais revelada por Bianca (Marcela Barrozo), a filha de Reginaldo (Eduardo Moscovis), que, segundo ele, “só gosta de velho”.

CONSTANTINO (Nuno Melo)
“O último português a emigrar para o Brasil”, é como se apresenta. Chegou ao Rio em busca de uma herança deixada por um tio, mas, ingênuo, sem conhecer os tortuosos caminhos da justiça, foi passado para trás. Envergonhado por ter sido vítima dessa situação humilhante, não teve coragem de comunicar aos parentes em Portugal que tudo dera errado no Brasil, e que havia ficado mais pobre. Resolveu permanecer no país, trabalhar muito e só voltar para Portugal depois que “se desse bem”. Virou motorista de táxi. Apaixona-se por Rita de Cássia (Adriana Lessa), com quem se envolve.

LUÍS CARLOS TEDESCO (Tarcísio Filho / Tarcísio Meira)
Enganado por Nazaré (Adriana Esteves/Renata Sorrah), largou sua primeira família para casar com a amante que dizia estar grávida. Criou Isabel (Carolina Dieckmann) como sendo sua filha. Também é pai de Cláudia (Leandra Leal), filha de seu primeiro casamento, e que passou a morar com ele depois que a mãe adoeceu e morreu por não ter resistido ao sofrimento.

CLÁUDIA TEDESCO (Leandra Leal)
Filha do primeiro casamento de Luís Carlos Tedesco (Tarcísio Filho/Tarcísio Meira), foi morar com a segunda família do pai após a morte da mãe, e logo ocupou o lugar de amiga e confidente de Isabel (Carolina Dieckmann), sua suposta irmã. Odeia Nazaré (Renata Sorrah).

DJENANE (Lucielly di Camargo / Elizangela)
Ex-colega de Nazaré (Adriana Esteves/Renata Sorrah) no bordel de Madame Berthe Legrand (Tônia Carrero), conhece a verdadeira história da amiga e o modo como Luís Carlos Tedesco (Tarcísio Filho/Tarcísio Meira) foi enganado. É ousada, oferecida, espaçosa e cheia de pose. Surge na vida de seu Jacques (Flávio Migliaccio) disposto a paquerá-lo e a tirar vantagens dele.]

JACQUES PEDREIRA (Flávio Migliaccio)
Pai de Alberto (Thiago Fragoso). Viúvo conhecido em todos os botequins e bancos de praça do Bairro Peixoto, em Copacabana. Vive sempre muito indignado, repetindo sua história por onde passa: ex-vendedor, teve a aposentadoria calculada de forma errada pelo INSS, e seu pedido de revisão está tramitando há oito anos sem que se chegue a uma conclusão. Cáustico, amargo, portador de um “defeito” – congênito, como ele mesmo diz – que o faz dizer sempre a verdade por mais dolorosa que seja. Seu Jacques é uma espécie de cronista implacável do cotidiano. Todos os dias, depois de ler o jornal num banco da praça, faz um comentário sobre o que leu e percebeu nas entrelinhas. Suas análises precisas, cortantes e verdadeiras provocam sempre o maior sucesso. Ele diz tudo o que a maioria pensa e não tem coragem de falar. Ao longo da trama, envolve-se com Djenane (Elizangela).

ALBERTO PEDREIRA (Thiago Fragoso)
Filho de seu Jacques (Flavio Migliaccio), vizinho da família Tedesco no Bairro Peixoto, em Copacabana. Trabalha com informática. Rapaz sério, estudioso e trabalhador, interessado em Isabel (Carolina Dieckmann), que o considera apenas um bom amigo. Envolve-se com Shirley (Malu Valle), mulher mais velha do que ele.

JOÃO MANOEL (Heitor Martinez)
Irmão de Jenifer (Bárbara Borges), filho mais velho de Giovanni (José Wilker) e seu futuro herdeiro. Um “mauricinho” que vive à sombra do pai. Vice-presidente da escola de samba Unidos de Vila São Miguel, não sabe o que quer da vida. Envolve-se com Regininha (Maria Maya), filha de Sebastião (Nelson Xavier).

JENIFER (Bárbara Borges)
Irmã de João Manoel (Heitor Martinez) e filha querida de Giovanni (José Wilker), a quem ele chama de “meu mimo”. Doce, boazinha, bem educada, estudiosa, reservada e caseira. Querida também da avó Flaviana (Yoná Magalhães), é a menina perfeita, aquela que, segundo o pai, “faria a felicidade de qualquer homem”. No decorrer da trama, porém, ela se apaixona por Eleonora (Mylla Christie), com quem passa a morar.

DONA FLAVIANA (Yoná Magalhães)
Mãe da falecida Haidé, sogra de Giovanni (José Wilker), avó de Jenifer (Bárbara Borges) e João Manoel (Heitor Martinez). Católica fervorosa, educada segundo princípios rígidos, sempre viu com reservas o namoro da filha com o bicheiro. Ao ser comunicada da união, foi contra o casamento dos dois. Parece odiar Giovanni, mas não pode viver sem ele. Controla-o rigidamente e, como se ele ainda fosse casado com a filha, cobra-lhe satisfações.

DANIELLE (Ludmila Dayer)
Namorada de Giovanni (José Wilker), aspirante a celebridade. Para tal, já deu os primeiros passos: fez plástica para consertar o nariz, botou próteses de silicone nos seios e malha com fúria para adaptar o corpo um tanto ou quanto volumoso ao modelo de “falsa magra gostosona”. Quer contratar um assessor de imprensa que promova seu nome, e acredita que para se transformar numa celebridade precisa apenas sair nas revistas e jornais. Enquanto não chega lá, conforma-se em namorar o seu “paizinho”, como chama o ex-bicheiro. Ele, por sua vez, a chama de “ninfa bebê”.

MADRUGA (André Mattos)
Ex-comparsa de Giovanni (José Wilker), seu empregado.

BARÃO PEDRO CORREIA DE ANDRADE E COUTO (Raul Cortez) - Morador da Avenida Atlântica, em Copacabana, herdeiro do Barão de Bonsucesso, título que ostenta com orgulho, embora títulos de nobreza já não existam mais no Brasil. Refinado, elegante e bom conversador, fascina quem se dispõe a ouvir as histórias de seus bem vividos 80 anos. Tem problemas financeiros e de saúde, mas sobre isso fala apenas o estritamente necessário. Recebe mesada do filho, Leonardo (Wolf Maya), e, ainda assim, tenta manter o velho estilo de vida. Frequenta todos os eventos para os quais é convidado na companhia da segunda esposa, Laura (Glória Menezes), a quem carinhosamente chama de Doña Laura.

BARONESA LAURA (Maria Amélia / Glória Menezes)
Mulher de Pedro Correia de Andrade e Couto (Raul Cortez), o Barão de Bonsucesso. Conhecida como “a baronesa” devido ao título do marido. Foi uma das figuras marcantes da sociedade carioca dos anos 1950 e 1960, mas hoje poucos colunistas sociais lhe dão espaço. Culta, viajada e fina, viúva de um ex-milionário que perdeu tudo no final dos anos 1970 e a deixou sem nenhum patrimônio. Namorou Pedro por cinco anos na década de 1980 e, antes de casar, assinou um acordo com Leonardo (Wolf Maya), filho do “barão”, pelo qual renunciava a tudo o que o futuro marido possuía. Forma com Pedro um casal afinado e que se ama muito. Os dois não têm uma situação financeira confortável, mas vivem relativamente bem. No decorrer da trama, recebe o diagnóstico de que sofre do mal de Alzheimer.

LEONARDO (Wolf Maya)
 Educado e senhor de si, tem a elegância de seu pai, o “barão” Pedro (Raul Cortez), mas é arrogante e orgulhoso. Consegue ser muito agradável no trato, mesmo quando diz coisas terríveis, o que acontece com frequência. Mantém uma barreira entre ele mesmo e pessoas de nível social abaixo do seu e, por isso, faz questão de se relacionar apenas com pessoas que considera à sua altura. Trabalha como consultor de empresas, o que, na prática, significa emprestar seu requintado nome a empreendimentos de sucesso e, assim, obter ótimos rendimentos. Pai de Maria Eduarda (Débora Falabella), a quem proporcionou uma educação refinada, e marido de Gisela (Ângela Vieira).

GISELA (Ângela Vieira)
Nascida em uma família de classe média, viu no casamento com Leonardo (Wolf Maya) a possibilidade de ascender socialmente, já que ele é filho do Barão de Bonsucesso (Raul Cortez). Assumiu para si mesma a ideia de nobreza, de tal forma que hoje se considera a “baronesa legítima”, no lugar da sogra Laura (Glória Menezes), a quem detesta. Sob uma aparência de fragilidade e delicadeza, esconde características de uma mulher forte e metida. Aos 50 anos, mantém o marido sob constante vigilância, com medo de que ele a troque por outra mulher mais jovem — o que a deixaria sem o “título”. Tem uma boa relação com a filha, Maria Eduarda (Débora Falabella), com quem é sempre muito carinhosa.

MARIA EDUARDA (Débora Falabella)
Sincera, estudiosa, esforçada e solidária. Filha de Leonardo (Wolf Maya) e Gisela (Ângela Vieira) e, portanto, neta do Barão (Raul Cortez); mas em seus gestos não há sinal de ostentação. Ao contrário da mãe, adora a avó, Laura (Glória Menezes), e gosta de ouvir suas histórias. Uma boa moça, que se sente um pouco entediada com sua vida, que considera certinha demais, mas não consegue verbalizar isso. Tem um eterno pretendente, Thomas Jefferson de Souza (Mário Frias), mas não é apaixonada por ele. Ela se refere a Thomas como um amigo, enquanto o rapaz a considera sua noiva. Quando conhece Viriato (Marcello Antony), apaixona-se, e sente que pode conhecer um novo e interessante mundo.

ALFRED (Ítalo Rossi) – Mordomo do Barão (Raul Cortez) e da Baronesa de Bonsucesso (Glória Menezes). No final da novela, descobre-se que é o verdadeiro pai de Leonardo (Wolf Maya), suposto filho do Barão.

THOMAS JEFFERSON (Mário Frias)
Deputado federal com posicionamento radical de esquerda. Autocentrado, egoísta e louco por mídia, capaz de fazer qualquer coisa para aparecer nas páginas. Apaixonado por Maria Eduarda (Débora Falabella) desde o instante em que a conheceu, dedica-se a conquistá-la, dividindo seu tempo entre os dois dias que passa em Brasília, as muitas reuniões políticas no Rio, os eventos que cria para se promover e o cerco à jovem. Embora goste de estar em evidência, não é ambicioso. Talvez por preguiça, não pretende ir, na vida política, além do cargo que ocupa atualmente.

RODOLFO (Reinaldo Gonzaga)
Fotógrafo amigo de Dirceu (José Mayer).

JUREMA (Catarina Abdalla)
Empregada de Pedro (Raul Cortez) e Laura (Glória Menezes).

FAUSTA (Guida Vinna)
Empregada de Nazaré (Renata Sorrah).

SHIRLEY (Malu Valle)
Vizinha de Nazaré (Renata Sorrah)

ARETUZA (Silvia Salgado)
Secretária de Dirceu (José Mayer)

CRECILDA DUARTE (Gottsha)
Funcionária de Do Carmo (Susana Vieira)

UBIRACI (Luiz Henrique Nogueira)
Carnavalesco, amigo de Crecilda (Gottsha)

TURCÃO (Marco Villela)
Companheiro de Ubiraci

AURÉLIA (Cristina Mullins)
Mãe de Shao Lin (Leonardo Miggiorin)

JANDIRA (Cristina Galvão)
Vizinha de Rita (Adriana Lessa)

GATTO (Leonardo Carvalho)
Amigo de Shao Lin (Leonardo Miggiorin)

GILMAR (Roberto Bomtempo)
Taxista e amante de Nazaré (Renata Sorrah)

PADRE LEOGIVILDO (Emiliano Queiroz)
Pároco da igrejinha de Vila São Miguel, um tradicionalista que acha que a missão da igreja é apenas a de salvar almas. Confessor de todas as figuras ilustres da comunidade, incluindo Giovanni (José Wilker) e Reginaldo (Eduardo Moscovis). Sabe os podres de todo mundo.

ELÍSIO LAGE (Atendente do bar Elias)

GUILHERMINA (Marília Gabriela)
Filha de Josefa (Marília Gabriela). Envolve-se com Dirceu de Castro (José Mayer).

Mais alguns da primeira fase:

JOSEFA MAGALHÃES DUARTE PINTO (Marília Gabriela)
Filha de tradicional família carioca, dona do jornal Diário de Noticias, que herdou após a súbita morte do segundo marido. Apesar do prestígio, é uma das figuras mais odiadas pelas autoridades da ditadura, pois usa o jornal para fazer oposição sistemática aos métodos do regime. Com a decretação do AI-5, vai para a França, exilada. Quando morre, na segunda fase da novela, seu corpo é enterrado no Rio de Janeiro. Sebastião (Luiz Carlos Vasconcelos/Nelson Xavier) é um eterno apaixonado por ela, para quem trabalhou como motorista.

INSPETOR BOGEL (Jonas Bloch)
Inspetor que prende Josefa (Marília Gabriela).

COMANDANTE SARAIVA (Werner Schünemann)
Comandante da Ilha das Flores.

GENERAL BANDEIRA (Rogério Fróes)
 “Amigo” e informante de Josefa (Marília Gabriela).

MADAME BERTHE (Tônia Carrero)
Dona do bordel em que Nazaré (Adriana Esteves/Renata Sorrah) trabalhava, avó de Edgard (Dan Stulbach).

MARINA (Ruth de Souza)
Governanta de Josefa (Marília Gabriela).

PORTEIRO (Fábio Lago / André Valli)
Porteiro do Diário de Notícias.

DONA MIMIM (Maria Gladys)
Passageira que ajuda Maria do Carmo (Carolina Dieckmann) e seus filhos no ônibus que os trazem ao Rio.

DONA BIL (Ilva Niño)
Vizinha de Maria do Carmo (Carolina Dieckmann) no Nordeste.

RUDDY (Rodrigo Hilbert)
Motorista que dá carona a Maria do Carmo (Carolina Dieckmann) e aos filhos na estrada.

VITAL (Luiz Magnelli)
Motorista do ônibus clandestino que leva Maria do Carmo (Carolina Dieckmann) ao Rio.

D. MENA (Neuza Amaral)
Dona do ateliê que faz os vestidos de Josefa (Marília Gabriela).

 SENHORA DO DESTINO (RESUMO DOS CAPÍTULOS) Parte 1

AGORA VEJA SENHORA DO DESTINO (RESUMO DOS CAPÍTULOS) Parte 1

RETORNE AO MENU PRINCIPAL
RETORNE AO MENU PRINCIPAL

Nenhum comentário :